12 de junho de 2012

Doenças Tropicais: Tuberculose

Hoje na coluna de sáude do Blog Conexão Social, terá início uma nova série de textos informativos sobre Doenças Tropicais, que serão publicados todas as terças, a partir do meio dia. Nós da redação do blog esperamos que vocês leitores gostem, deste e dos próximos textos e que eles possam acrescentar novas informações aos seus conhecimentos.
O texto de hoje, fala sobre a tuberculose, próxima semana será falado sobre a malária.

Ronielson Lima


 Doenças Tropicais

“Doenças tropicais são doenças infecciosas e parasitárias que ocorrem preferencialmente, mas não exclusivamente, nos trópicos. A incidência das doenças tropicais nos países com climas tropical e subtropical é assustadoramente maior do que nos países com clima temperado"
Tuberculose


Descrição

A tuberculose é um problema de saúde prioritário no Brasil que, juntamente com outros 21 países em desenvolvimento, alberga 80% dos casos mundiais da doença. Estima-se que cerca de um terço da população mundial está infectada com o Mycobacterium tuberculosis, sob risco, portanto, de desenvolver a enfermidade.
Anualmente, ocorrem em torno de oito milhões de casos novos e quase 3 milhões de mortes por tuberculose. Nos países desenvolvidos é mais freqüente entre as pessoas idosas, nas minorias étnicas e imigrantes estrangeiros. Nos países em desenvolvimento, estima-se que ocorram 95% dos casos e 98% das mortes causadas pela doença, ou seja, mais de 2,8 milhões de mortes por tuberculose e 7,5 milhões de casos novos, atingindo a todos os grupos etários, com maior predomínio nos indivíduos economicamente ativos (15-54 anos). Os homens adoecem duas vezes mais que as mulheres.
O Brasil apresenta aproximadamente 85 mil casos novos por ano e cerca de 5-6 mil mortes pela doença.

Agente etiológico ( causador da doença)

O causador da doença á a bactéria, Mycobacterium tuberculosis, também conhecido como bacilo de Koch.

Reservatório

O reservatório principal é o homem. Em algumas regiões, o gado doente. Em raras ocasiões, os primatas, aves e outros mamíferos. Em geral, a fonte de infecção é o indivíduo com a forma pulmonar da doença, que elimina bacilos para o exterior (bacilífero).  Calcula-se que durante um ano, numa comunidade, um indivíduo bacilífero poderá infectar, em média, de 10 a 15 pessoas.

Modo de transmissão

A tuberculose é transmitida de pessoa a pessoa, principalmente através do ar. A fala, o espirro e, principalmente, a tosse de um doente de tuberculose pulmonar bacilífera lança no ar gotículas, de tamanhos variados, contendo no seu interior o bacilo (bactéria).

 Período de incubação

Após a infecção pelo M. tuberculosis, transcorrem, em média, 4 a 12 semanas para a detecção das lesões primárias.
Período de transmissibilidade
A transmissão ocorre enquanto o doente não tiver iniciado o tratamento. Após iniciado o tratamento, a transmissão é reduzida, gradativamente, a níveis insignificantes, ao fim de poucos dias ou semanas.

Sintomas da tuberculose pulmonar

A tuberculose pulmonar é a manifestação mais comum da doença. O quadro típico de tuberculose pulmonar é de febre com suores e calafrios noturnos, dor no peito, tosse com expectoração, por vezes com raias de sangue, perda de apetite, prostração e emagrecimento que chega a 10 ou 15 kg em algumas semanas.
Por ser também uma infecção pulmonar, o quadro pode lembrar o de uma pneumonia. Porém, enquanto a pneumonia é uma doença mais aguda, que se desenvolve em horas/dias, a tuberculose é mais lenta, evoluindo em semanas. Alguns pacientes com tuberculose só procuram atendimento médico dois meses depois do início dos sintomas. Deve-se pensar sempre em tuberculose pulmonar naqueles pacientes com quadro de pneumonia arrastada que não melhora com antibióticos comuns.



Tratamento

A tuberculose é uma doença grave, porém curável em praticamente 100% dos casos novos. A associação medicamentosa adequada, doses corretas, uso por tempo suficiente, com supervisão da tomada dos medicamentos, são os meios utilizados para evitar a persistência bacteriana e o desenvolvimento de resistência às drogas, assegurando a cura do paciente.
O tratamento da tuberculose deve ser feito em regime ambulatorial, supervisionado, no serviço de saúde mais próximo, na residência ou no trabalho do doente.

Um comentário:

Deixe seu comentário